Na mídia!

Saímos no jornal goiano O Popular hoje!

Uma matéria bem legal sobre fotógrafos de palco.

espia só!

 

Tô feliz!

Beijos a todos!

Ah! logo menos teremos mudancinhas por aqui!

=]

Anúncios

O rei e os súditos das Congadas.

O rei e os súditos das Congadas.

“Sou solteiro

Sou casado

Sou soldado da Senhora do Rosário!”

Puxava o senhor mais velho do terno de Moçambique de Santa Efigênia do Bairro Feliz, o grupo anfitrião das Congadas da Vila João Vaz, aqui em Goiânia.

Confesso que foi a primeira vez que vi ao vivo uma festa de Congada. Foi emocionante! Aquelas pessoas lindas, aquela música contagiante, as visitas dos grupos as residências dos moradores do bairro… Enfim, me faltam palavras. Nossa cultura é mais que rica, é diversa, é poética!

Fica aqui uma homenagem aos congadeiros lindos que lutam para que essa manifestação continue por muitos anos. Uma reverência de sua nova súdita.

beijos a todos!

Lu

Muitos amigos depois…

Muitos amigos depois…

Já contei que adoro dança, ne? Na minha adolescência, eu fazia aulas, assistia muitos espetáculos, etc… Quando comecei a fotografar, era louca pra fotografar a Quasar cia de dança, aqui de Goiânia. Lembra?

Pois então, da primeira foto dele pra cá, já foram 8 anos… e 28 de cia! De lá pra cá, foram fotos de alguns espetáculos para eles, algumas fotos para outra cias por causa deles, e muita foto minha publicada mundo a fora… Alemanha, França, Estados Unidos, Vietnã… Muitos lugares!

E lá tive o prazer de fazer muitas, muitas amizades,  bailarinos, produtores, a turma do backstage… alguns ainda moram aqui em Goiânia e vários foram para outras cidades, e outros países, outras cias. Fato é que a Quasar sempre foi lugar de intercâmbio de muita gente criativa, alguns ficaram por pouco tempo, outros por muito tempo.

Hoje, os jornais e as redes sociais escancararam o que eu soube há poucos dias. A Quasar, está finalizando suas atividades, não por falta de bailarino competente, por crise de criatividade ou má gestão, mas por falta de patrocínio! Isso mesmo: grana, dindin, bufunfa. Uma cia que roda o mundo inteiro, é aplaudida de pé por vários minutos em lugares que as platéias são geladas e sisudas, vai acabar… Tempos de crise, o que se corta primeiro?  Salário de senador é que não, né…

Fica aqui o desabafo, a frustração e a torcida para que o jogo ainda vire!

Beijo a todos!

Abraços apertados, aplausos de pé aos meus queridinhos da Quasar cia de Dança.

Lu

 

 

 

 

Lavar idéias.

Lavar idéias.

Segundo o  Dicionário  Priberam da Língua portuguesa:

banho (latim balneum-i)

substantivo masculino

.Ato de banhar ou banhar-se.

Exposição a alguma coisa (ex.: banho de sol).

Inserção temporária em determinado meio (ex.: banho de multidão).

 

De uns bons tempos para cá, o banho para mim, não serve apenas para lavar o corpo. Como boa brasileira que sou: banhos? Todos os dias! As vezes, vários ao dia. Mas, ali no banho, algumas vezes resolvo muitas outras questões.Tenho idéias, decido assuntos importantes, me tranquilizo, choro as mágoas… É um momento de muita reflexão, que já me ajudou (e ajuda!) a sair de alguns labirintos.

Esses dias, por uma brincadeira – assim espero! hihihihihihihi (queriam me mandar pro petshop porque meu cabelo estava preso… ¬¬ ) acabei produzindo 2 fotos no banho… (isso mesmo, não dá idéia que eu aceito!)  Mas, hoje num momento de muita reflexão, acabei produzindo um ensaio.

Já era hora, ne.

 

Se esse banho serviu pra organizar essas ideias que precederam o ensaio? Ainda não, mas o chuveiro está bem ali.

Ah! Fiz as fotos e editei com o celular. Ele teve que tomar um solzinho, mas está bem.

 

Beijos a todos !! (beijo especial pro meu querido conveniado do petshop, dedico esse ensaio a você!)  😉

Garrei feição!

Garrei feição!

Neste fim de semana teve Arraiá do Cerrado aqui em Goiânia. Fui pela primeira vez no sábado, para fotografar as apresentações das Quadrilhas. Idéia da turma do Coletivo Olhares do Cerrado, do qual faço parte.

Fui por diversão, por exercício, por curiosidade, para encontrar os amigos. Confesso que foi muito divertido. Dos quatro grupos que se apresentaram aquele dia, “garrei feição” por um em especial.

A Fogaréu veio com a temática do Cangaço, com a linda história de amor de Virgulino Ferreira da Silva, O Lampião e Maria Gomes de Oliveira,  A Maria Bonita. Além do figurino e maquiagem impecáveis, a narrativa e as músicas me encantaram.

“Se um dia nois se gostasse
Se um dia nois se queresse
Se nois dois se empareasse
Se juntim nois dois vivesse
Se juntim nois dois morasse
Se juntim nois dois drumisse
Se juntim nois dois morresse
Se pro céu nois assubisse
Mas porém se acontecesse de São Pedro não abrisse a porta do céu e fosse te dizer qualquer tolice
E se eu me arriminasse
E tu cum eu insistisse pra que eu me arresolvesse
E a minha faca puxasse
E o bucho do céu furasse
Tarvés que nois dois ficasse
Tarvés que nois dois caisse
E o céu furado arriasse e as virgi toda fugisse” – Zé Da Luz / Cordel do Fogo Encantado.

 

Foi lindo!

Beijo a todos!

 

As sombras do mar de luz.

As sombras do mar de luz.

Quem é de Goiás já conhece, ou pelo menos ouviu falar da famosa Festa do Divino Pai Eterno em Trindade. É uma festa religiosa, realizada todos os anos, sempre em junho. A primeira vez que fui a festa, foi na época em que fazia curso de fotografia no SENAC, era uma dos temas a ser fotografado para o curso. Muito tempo se passou, e domingo de madrugada, lá estava eu em Trindade, era o último dia das celebrações. Num primeiro momento já digo: A festa cresceu e muito!

Tudo já começa com a famosa rodovia dos romeiros, muitos fiéis seguem à pé pela rodovia,  a GO-060 que liga Goiânia a Trindade, que além de abrigar grandes murais da Via Sacra, feitos pelo artista goiano Omar Souto, nesta época também abriga muuuuuuuitas barracas de comerciantes de todo os tipos.

Eu particularmente fiquei chocada com a quantidade de  barracas de comerciantes  e com a quantidade de lixo. Para todos os lados eram barracas e mais barracas e muito, muito lixo…

16G02C075
Aqui, já era 7:26, o dia já tinha raiado, mas só para ter uma idéia do mar de gente!

Mas, eu tinha ido com a finalidade de fotografar os fiéis, as pessoas, participantes de uma procissão que seria as 5h da manhã (na verdade as 4:30H), mas chegamos tarde, e só conseguimos começar a fotografar as 6:35, quando a missa atrás da Basílica já havia começado.

Confesso que fiquei meio perdida, aquela massa densa de gente, com uma luz muito forte, chapada… Parecia uma coisa só!

Diante daquela luz na platéia da missa, eu fiquei fugindo da luz, estava muito escuro para aquela claridade toda!

Resultado: Alguns retratos em pb, muita fuga da luz, muitos seres únicos no mar de gente iluminada pela luz do Divino.

E foi isso…

À essas pessoas que foram em busca de bênçãos, muita luz!

Beijos a todos!

 

Ah!!! Agradecimento especial ao Bonito, que me fez companhia neste amanhecer em Trindade. =**